deus-te-abencoe

Deus te abençoe

“O Senhor disse a Moisés: Diga a Arão e aos seus filhos: Assim vocês abençoarão os israelitas:” Números 6:22-23

É comum ouvirmos frases do tipo “Deus te abençoe” no nosso convívio com as mais diversas pessoas, ainda que nem se denominem cristãs. Trata-se de um desejo genérico, e ainda assim sincero, de bem estar para com o outro. No entanto, neste trecho tão antigo do livro de Números podemos entender um pouco melhor a profundidade embutida nesta simples sentença. Vamos ver:

“O Senhor te abençoe e te guarde” – verso 24

O início do verso é exatamente o resumo que é usado no cotidiano: O Senhor, ou Deus, te abençoe. Tenha isso em mente a partir de hoje quando usar esta frase. Pense em tudo o mais que se segue à este início singelo. Logo após vem o desejo por proteção, por cuidado. “Te guarde” nos remete a algum mal externo que possa nos afligir. Transtornos de causas naturais ou ocasionados por atitudes de outros. Se a benção parasse aqui seria como aquela “sabedoria popular” que diz que devemos ter saúde pois, tendo saúde, do resto nós cuidamos. Santa ingenuidade. Obrigado, Senhor, por nos dar além do que pedimos ou pensamos! Nosso maior problema está longe de ser o que fatores externos podem nos causar, mas certamente é o mal que nós mesmos cometemos! O pecado.

“o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti e te conceda graça” – verso 25

O rosto em questão é o rosto de Deus. Portanto, o sentido aqui é que Ele vire a atenção dEle para nós. Nos direcione a luz dEle. E com graça! Quem não precisa de graça? A graça que não nos julga nem condena, mas que nos perdoa. A pior atitude que podemos tomar depois do pecado é justamente aquela que na maioria das vezes tomamos: nos esconder da face de Deus. Vergonha. Receio de não ser aceito. Medo. Sentimento de não sermos dignos. Mas aqui vemos a graça! Algo que só Deus pode nos oferecer e nos ensinar a praticar. Graça é dar a alguém algo que ele não merece, como o perdão. Como misericórdia. Isso que é benção!! Mas não acabou ainda!

“o Senhor volte para ti o seu rosto e te dê paz.” – verso 26

Perceba que o “para ti” repetido neste verso demonstra que Deus nos vê como indivíduo, como unidade, como único. Não nos vê como mais um ou qualquer um, mas como uma pessoa com um universo próprio de necessidades e desejos, de dificuldades e lutas muito particulares.

Deus fala com você pelo seu nome. Ele tem tempo pra você e para sua vida. Mais do que isso, Ele quer um relacionamento mais próximo do que o que você tem com seu melhor amigo, maior do que você tem com qualquer um da sua família. Sendo assim, você terá paz. No hebraico a frase é bem mais profunda do que apenas “te dê a paz”. O verbo significa colocar ou estabelecer e a paz não é a cessação de problemas, mas é a própria perfeição! Sendo assim, pense em algo como “Que o Senhor estabeleça em ti aquela perfeita harmonia com tudo que te é indispensável ainda que você nem saiba o que é”.

Esta é a benção sacerdotal e você, sendo cristão, deve proclamá-la em favor dos outros. Que Deus nos abençoe!

Texto de Rafael Epprecht